Resenhando na Prateleira # 5: Easy – Tammara Webber (Série Contornos do Coração I)

Easy - Contornos do coração - vol. 1 por [Webber, Tammara]

EASY – Tammara Webber

Verus Editora

Quando Jacqueline segue o namorado de longa data para a faculdade que ele escolheu, a última coisa que ela espera é levar um fora no segundo ano. Depois de duas semanas em estado de choque, ela acorda para sua nova realidade – ela está solteira, frequentando uma universidade que nunca quis, ignorada por seu antigo círculo de amigos e, pela primeira vez na vida, quase repetindo em uma matéria.
Ao sair de uma festa sozinha, Jacqueline é atacada por um colega de seu ex. Salva por um cara lindo e misterioso que parece estar no lugar certo na hora certa, ela só quer esquecer aquela noite – mas Lucas, o cara que a ajudou, agora parece estar em todos os lugares.
A atração entre eles é intensa. No entanto, os segredos que Lucas esconde ameaçam separá-los.
Mas eles vão ter de descobrir que somente juntos podem lutar contra a dor e a culpa, enfrentar a verdade – e encontrar o poder inesperado do amor.
Easy é uma leitura indispensável para quem gostou de Belo desastre, de Jamie McGuire. Sexy e absolutamente cativante, este é um livro imperdível!

Sempre é bom a gente tentar superar nossos preconceitos literários, não é mesmo? No meu caso, tive de passar por cima da minha relutância em ler Young Adult, o popular YA, pra poder sequer cogitar comprar, quiçá ler esse livro. E graças a isso eu li e olha… estou besta…

No começo, cheguei até a pensar “ô senhor, mais um livro de mocinha parva que fica dividida entre o ex e o TDB atual”… e não era isso…

Aí fui lendo mais, ainda desconfiada, e pensando “ai meus sais, mais um livro de mocinho que não quer se envolver e por isso trata a mocinha a patadas”… e não era isso…

Então, fui lendo mais um pouco, cheguei a pensar “misericórdia… mais um livro de mocinho traumatizado por uma coisa bem besta”… e definitivamente, completamente e totalmente NÃO ERA ISSO!!!!

Pensei, sim, que não ia gostar de um título desse gênero, mas gostei. E falando a real, já tinha começado a ler esse livro com certo preconceitinho, meio torcendo o nariz, mas superou as expectativas. Não adoreeei, ameeei, omeudeus, melhor-livro-ever… mas gostei bastante.

O trauma do mocinho é uma coisa que não podia imaginar. De alguma maneira, não previ que esse soco no estômago estava vindo, e me chocou e emocionou. E mesmo assim, depois de tudo que passou, ao invés de se transformar em um cara amargo, insensível, afastando todo mundo e tratando todos que chegam perto no pé (iguais a certos mocinhos à lá Lynne Graham, que pegam um trauminha de nada do passado do tipo “mamãe nunca me deu um abraço” e transforma isso em desculpa pra tratar mocinha feito cachorro vadio) o Lucas resolve superar e tornar a vida dele em algo útil e produtivo. E é um super fofo com a mocinha, trata ela como uma coisa preciosa.

E a mocinha, a Jaqueline, de parva não tem nada, graças aos céus literários. Ela fica baqueada no começo, por causa do pé na bunda que leva e por causa do ataque que sofre do amigo do ex, que acontece logo em sequência. Aliás, baqueada é uma palavra bem fraca pra isso, ela fica malzaça mesmo… afinal, o que acontece com ela – e com muitas meninas em campi universitários, infelizmente – é uma coisa horrenda e revoltante de doer o coração, mas enfim… ela busca forças pra superar, sacode a poeira e toca a vida dela. Demora um pouco pra coisa engrenar com o mocinho, porém por causa do ataque que ela sofre, e por causa de complicações no trabalho dele, ele resolve levar as coisas bem devagar mesmo.

Então eles vão se conhecendo, se envolvendo, se descobrindo, e os sentimentos vão surgindo. Bem docemente. Comparado com outros livros YA que vi por aí, onde os mocinhos já partem pros finalmentes mais rápido que a velocidade da luz, aqui as coisas levam o seu tempo pra acontecer, bem suavemente, o que pode entediar alguns leitores, mas que pra mim funcionou muitíssimo bem. Afinal, com os tipos de traumas que ambos tinham, não dava mesmo pra correr com o lance e ir direito pro rala-e-rola, o negócio tinha que amadurecer, rs.

E no final, a história dá certo. É aquela histórinha básica de YA, do descobrimento do amor, mas com um twist grave e melancólico, que o diferenciou dos demais. Achei muito bonitinha, e recomendo. A autora tem uma forma delicada de contar a história e o desenvolvimento dos personagens é muito bom. Tem uns temas meio pesados, mas tem final feliz, então a gente acaba deixando o que passou de ruim passar. Ainda não li a continuação, mas já está na minha pilha (quilométrica) do “para ler”, e ainda pretendo dar um jeito de enfiar lá o spinoff também (não sei como, mas enfim, rsrs).

Assim, recomendo muito pra quem quer suspirar por um mocinho que sofreu, mas que superou, cresceu, virou homem, e resolveu se doar, ao invés de exigir e tomar. E de uma mocinha que é forte e decidida, sem perder a leveza e delicadeza. Um casalzinho fofinho, promissor, e com uma história forte, e ao mesmo tempo suave. Uma palavra só: lindinho, rs.

Beijos e até,

Gisele

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s